24/02/2022 _A Renault e o leite Glória
A Renault e o leite Glória

Ficou curioso(a)? Eu explico.

No finalzinho da década de 50, a Renault autorizou que a Willys produzisse no Brasil o Dauphine, um sedan minúsculo, com motor traseiro e quatro portas. A ideia era concorrer com o Fusca. O carrinho era muito econômico, tinha um motorzinho de 800 cilindradas contra as 1200 do Fusca, e para a época era muito mais bonito que o Volks. 

Tinha tudo para ser um grande sucesso: quatro portas, gastava menos e, digamos, era bonitinho. Mas no acordo a Renault não autorizou nenhuma adaptação do veículo para as condições brasileiras, muito diferentes das da Europa. 

Aqui as ruas e estradas eram muito, mas muito mais esburacadas do que hoje, fora que as vias pavimentadas eram em número muito menor que na Europa.


A Fleischman Royal

Já contei este “case” há algum tempo, mas vou relembrar vocês. A Royal queria entrar no nosso mercado de leite em pó, na época dominado pela Nestlé. 
Porém, queria que seu produto tivesse um grande diferencial em relação ao líder de mercado. Para isto adicionaram lecitina de soja, que quebra as moléculas de gordura sem alterar o sabor e os nutrientes do leite, e lançou o Leite Glória Instantâneo. 
Para as campanhas de lançamento e sustentação era usado o slogan:
LEITE GLÓRIA DESMANCHA SEM BATER 

O povo brasileiro


Claro que o carrinho francês não aguentou o tranco de nossas ruas e estradas e logo começaram a surgir muitos problemas mecânicos. E o nosso povo muito criativo, não perdoou e criou um novo slogan para a marca: DAUPHINE DESMANCHA SEM BATER
 
Em 1959 a Renault lançou o Gordini e a Willys foi autorizada a produzi-lo aqui, com os devidos ajustes para nossas condições.

Na aparência era igual ao Dauphine, só que bem mais parrudo e bom de pistas de corrida, tanto que acabou gerando seus irmãos 1093 e o Interlagos. Este último uma cópia do Alpine francês, versões bem mais esportivas e velozes. 

 

No próximo artigo vou contar uma parte da história da Willys Overland Brasil. Só para adiantar um pouco, a montadora americana foi a criadora da marca e dos veículos Jeep, hoje propriedade da Fiat/Chrysler.

Voltar