19/07/2017 _UM POUCO DA HISTÓRIA DA PROPAGANDA
UM POUCO DA HISTÓRIA DA PROPAGANDA

do começou na antiguidade, historiadores relatam que no Egito antigo a publicidade já era utilizada através de desenhos em paredes e rochas e, praticamente a mesma coisa acontecia na Grécia antiga. Entretanto os registros históricos mais antigos são de Pompéia (Ita) onde foram encontradas algumas tabuletas divulgando as casas de banho e lutas de gladiadores além de pregoeiros que divulgavam a venda de produtos como gado e escravos usando a própria voz.  Os historiadores citam a comunicação de que Dario ocuparia o trono persa em 515 a.C.

O primeiro panfleto apareceu em Paris no ano de 1482 e divulgava uma manifestação religiosa, chamada de “O grande perdão de Nossa Senhora” que seria feita em Reims. Durante a idade média começam a serem utilizados os primeiros símbolos (ícones) e sua associação a produtos, produtores e serviços, o que hoje conhecemos como logotipos/logomarcas.

Nos registros do Vaticano consta que em 1622, o Papa Gregório XV criou uma comissão de cardeais para difundir o catolicismo nos países não católicos. Na ocasião esta ação foi chamada pela igreja de Congregatio de Propaganda Fide, cuja tradução é: "Congregação para Propagar a Fé", Desde então a palavra Propaganda vem sendo utilizada como ações para divulgar/propagar algo.

Em 1625 surgiu o primeiro anúncio, no jornal inglês Mercurius Britanicus, sobre um livro. Seis anos mais tarde surge a primeira seção de anúncios no jornal de T. Renaudot (em Paris), para atrair a atenção dos leitores. Esta seção se tornaria com o tempo na maior fonte de renda para a imprensa. Devo destacar que naquela época os anúncios não tinham como objetivo vender algo eram apenas informativos.

Em 1704 foi publicado o primeiro anúncio americano, que divulgava um empreendimento imobiliário. No Brasil os primeiros anúncios, em jornais, surgiram na segunda metade do século XIX.

Praticamente junto com a Revolução Industrial (em 1841) nasceu a primeira agência, fundada por Volney B. Palmer, na Filadélfia, que ainda utilizava mensagens informativas. Com o desenvolvimento da indústria e a produção em série, as mensagens publicitárias passaram a ser mais persuasivas/ vendedoras.

A organização e aplicação da atividade publicitária é atribuída ao jornalista Walter Lippman e pelo psicólogo Edward Bernays (ambos americanos) durante a primeira guerra mundial (1914-1918).

Em 1913 foi fundada a Eclética, a primeira agência brasileira que tinha entre seus clientes a Ford, Kolynos, biscoitos Aymoré e a Quaker.

O grande desenvolvimento das agências ocorreu durante e logo após a segunda grande guerra. A agência mais antiga ainda em atuação é a J. Walter Thompson.




Voltar