11/06/2018 _Como eu posiciono a minha empresa?
Como eu posiciono a minha empresa?

O posicionamento é o que se realiza na mente do cliente em potencial. Ou seja, é um conjunto de ações que dá a ele a oportunidade de desenvolver uma percepção específica sobre uma marca/produto conforme a pretensão da empresa fabricante para superar problemas do excesso de comunicação a que o cliente em potencial está exposto.

Trocando em miúdos: é como se dividíssemos o cérebro do cliente em potencial em nichos por meio da teoria do posicionamento, usando técnica de comunicação para colocar a marca/produto no nicho exato a fim de gerar as reações esperadas pela empresa. 

POSICIONAMENTO > PRODUTO

Até os anos 60 os publicitários focavam suas atividades no produto. Segundo Trout & Ries, vivia-se a Era do Produto, passando depois para a Era da Imagem e finalmente a Era do Posicionamento. O publicitário David Ogilvy foi um dos primeiros desenvolvedores dos princípios da teoria do posicionamento. A partir daí, começou-se a dirigir o foco para as marcas, garantindo mais possibilidades para, inclusive, o lançamento de novas opções ou novos produtos com a mesma marca.

Por exemplo: se você for um fabricante de picolés de coco da marca XPTO, você poderá lançar picolé de coco queimado, de coco com ameixa e etc., usando a mesma marca e atingir seus objetivos muito mais rapidamente. Possivelmente, a descoberta do David Ogilvy foi o primeiro passo do branding.

O QUE MINHA EMPRESA GANHA POSICIONANDO-SE?

Quando sua marca ocupa um nicho específico na mente do cliente, estabelece-se uma relação de confiança e de amor por ela. Porém, se seu(s) produto(s) não atende(m) aos anseios do consumidor pode facilmente mudar para uma relação de ódio. Por isto, se você tem uma marca com um bom produto, suas derivações (novas opções ou produtos) terão necessariamente que manter o padrão de qualidade e funcionalidade.

Vamos pegar dois exemplos:

O primeiro trata do Burger King era líder de mercado nos Estados Unidos até que o McDonald’s revolucionou o mercado de fast food, com padrões de qualidade e atendimento muito bem definidos. Este conseguiu superar a liderança mesmo tendo menos opções de lanches. 

O outro exemplo é o case da Hertz Rent a car e da Avis. A primeira era líder de mercado enquanto a segunda oferecia as mesmas opções de veículos, com preços semelhantes, porém tinha menos bases. Em uma campanha publicitária a Avis reconhecia seu segundo lugar, assim como a qualidade dos serviços e opções da líder, o que ela também oferecia. Com esta campanha a Avis não alcançou a liderança, porém garantiu a confiança e fidelidade de seus consumidores, garantindo sua sobrevivência até hoje.

INDISPENSÁVEL NA DEFINIÇÃO DAS VANTAGENS COMPETITIVAS

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, vantagem competitiva não é só o oferecimento de atributos diferentes dos concorrentes. Ela pode ser, por exemplo:

  1.  a localização de uma fábrica
  2.  a facilidade ou dificuldade de acesso a um local
  3.  a facilidade de se encontrar uma marca
  4. a imagem que os consumidores têm de seus colaboradores e muito mais. 

Se você perguntar a uma pessoa que nunca esteve numa fábrica da Nestlé, como são os operários desta multinacional, vai ouvir coisa como: são felizes, são saudáveis, são higiênicos e etc. 

Esta é uma vantagem competitiva conquistada pela Nestlé há muitos anos por meio da aplicação do posicionamento. Durante anos as campanhas da Nestlé, direta ou indiretamente falavam de confiabilidade, respeito ao consumidor, elevadas exigências nos padrões de qualidade, respeito às leis e outros temas que levaram os consumidores a acreditar que a empresa é exemplo de respeito ao consumidor, aos seus funcionários, aos seus fornecedores e ao meio ambiente. Vantagem competitiva praticamente imbatível.

Voltar