08/05/2020 _Clique, curtida ou conversão?
Clique, curtida ou conversão?

Aviso importante: exposição de marca não garante conversões.

Muitas vezes é necessário explicar isso ao seu cliente e traçar objetivos claros para, de fato, ter resultados. É comum ver marcas satisfeitas com seus resultados de alcance, impressões e curtidas nas redes sociais, mas com taxas de conversão baixíssimas.

Por isso, é preciso definir objetivos específicos e métricas já que não se pode cobrar conversões quando a estratégia é para exposição.

Um novo nicho de mercado, focado em conversão, vem ganhando força e importância: a performance. No fim das contas, independente das impressões, curtidas e cliques, o que importa mesmo é a conversão.

O imenso mundo dos aplicativos é o primeiro que está tirando proveito do conceito e quem entende está se destacando, além de aumentar a concorrência entre os players de mídia. Apesar do cenário ser novo no Brasil, é uma grande oportunidade para o mercado daqui, pois tanto os clientes quanto os consumidores do nicho são novos e a concorrência é mínima. Por enquanto.

Um dos principais motivos de frustração quando se busca conversão, é misturar os conceitos de branding com performance. O ideal é que andem juntos, desde que suas funções não sejam confundidas. Inclusive, estratégias de branding que não contam com performance, estão tendo resultados abaixo da média.

O ponto chave de uma estratégia de performance não é onde será feita a exposição da marca, mas quando, sem limitar quantas impressões são necessárias para qualificar o lead. E a estratégia tem uma garantia: a conversão.

Voltar